“Nós contra eles…”

Date:

por Nilton Ramos*

Publicação recente do site http: www.annasharp.com.br, da professora Anna Sharp, assinada pelo jornalista Nelson Motta me chamou atenção por conta do atual momento político que o país experimenta. Não que seja a primeira vez. Pelo contrário, os brasileiros são experts em superar crises.

Afirmam que brasileiro não tem memória. Esquecem os nomes dos políticos, governos que traíram a sua confiança. Será mesmo? Por favor, não tomem um paradígmica simplista como preconceituoso, machista, mas brasileiro é como mulher, não trai, se vinga.

Crítico é como advogado [e lá vai outra comparação] não se importa se o Magistrado ficará ou não satisfeito com os argumentos utilizados pelo profissional para defender seu ponto de vista, seu direito profissional e os interesses do seu constituído.

Na era cibernética, que mudou a história da comunicação planetária, nas redes sociais ‘ganhamos e perdemos’ seguidores. E sempre na busca da preservação da amizade pelo respeito mútuo. Mas tem todos pensam assim. O pensar é livre. A manifestação equilibrada, idem.

E por isso que na edição de hoje, por comungar de opinião parecida, quero emprestar este latifúndio virtual para o que escreveu o colega jornalista Nelson Motta a respeito da crise, cujo brasileiros são submetidos:

12118785_1005431206173890_6755217041824650004_n

[…]

Ipsis litteris…

Aos amigos petistas 
by Nelson Motta
Petistas inteligentes sabem que o sonho acabou, ‘game over’, zé fini, pelo baixo nível e alta voracidade dos seus quadros.
Nunca perdi um amigo por causa de política. Tenho vários amigos petistas que merecem meu afeto e respeito, alguns até minha admiração, e convivemos bem por que quase nunca falamos de política, talvez por termos assuntos mais interessantes a conversar.

Mas agora o assunto é inevitável. E eles estão mais decepcionados do que eu.
Também tenho amigos tucanos, comunistas,  conservadores, não meço a qualidade das pessoas pelo seu time, religião ou suas crenças políticas, em que sonhos, idealismo e equívocos se misturam com ambição, desonestidade e incompetência para provocar monstruosas perdas de vidas, dignidade e dinheiro ao coitado do povo que todos eles dizem amar.
O PT está caindo aos pedaços, depois de 13 anos no poder, com grandes conquistas e imensos desastres, mas a perspectiva de ser governado pelo PMDB ou pelo PSDB não é animadora.

Claro que há gente decente e competente nos dois partidos, mas a maioria de seus quadros e dirigentes não é melhor do que os piores petistas, e vice-versa.
Chegamos finalmente ao “nós contra eles” que Lula tanto queria … quando era maioria … e agora se volta contra ele, perseguido como os judeus pelos nazistas e os cristãos pelos romanos … rsrs.
Se não fosse tão arrogante e autoritária, Dilma mereceria pena, porque não é desonesta, mas é mentirosa e sua incompetência nos dá mais prejuízos do que a corrupção. Suas falas tortuosas são a expressão da sua confusão mental.

E se Lula não fosse tão vaidoso e ambicioso, tão irresponsável e inescrupuloso, não teria jogado a sua história na lama por achar que está acima do bem e do mal e que nunca descobririam que ele sempre soube de tudo.

Petistas inteligentes e informados sabem que o sonho acabou, game over, zé fini, não por uma conspiração da CIA, dos coxinhas ou da imprensa golpista, mas pelos seus próprios erros, pelo baixo nível e alta voracidade dos seus quadros, pela ganância e incompetência que nos levaram ao lodaçal onde chafurdamos.

É triste, amigos petistas, o sonho virou pesadelo, mas não foi a direita que venceu, foi o partido que se perdeu. O medo está dando de 7 a 1 na esperança.

 

 

Nilton Ramos
Bacharel em Direito; Pós-Graduado em Direito do Trabalho Lato Sensu; humanista e fundador-presidente da ONG CIVAS – BRASIL.

1 COMENTÁRIO

  1. O maior erro do PT foi cometer os mesmos erros dos outros partidos, oi seja, continuou com as falcatruas do PSDB e outros antes dele. O PT deveria ter se lembrado que apenas o fato de ter origem dos trabalhadores já era suficiente para que todos os olhos da mídia, da elite, das empresas estariam de olhos vivos esperando uma chance. Depois vem a velha e tradicional “perseguição” ideológica com a taxação de comunista, partido de ateus e daí vai, em um país de tradição cristã. Ninguém de sã consciência pode negar as conquistas do governo petista, nem o irreparável erro de cometer os mesmos erros dos outros partidos. Os erros podem ser iguais, mas seu valor depende de quem os comete.

Comentários estão fechados.

Compartilhar :

Assinar

spot_imgspot_img

Popular

Relacionados
Relacionados

Relator apresenta plano de trabalho da CPI da Braskem

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da...

Cartilha ajuda a identificar atrasos no desenvolvimento de crianças

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), em parceria com...